Em vez de fazer demagogia, oposição poderia trabalhar mais tecnicamente no caso Petrobras

  • Por Jovem Pan
  • 28/04/2014 18h16

Nêumanne, será que não há mais aquele velho espírito de corpo de antigos funcionários da Petrobras que pudessem ajudar a fazer um levantamento do estrago, do rombo que está sendo feito na maior estatal do Brasil desde o começo do governo petista até hoje?

A revista Época está publicando na banca, esta semana, histórias de aventuras mal-sucedidas de negócios de lobistas da Petrobras na África. A revista Veja, sua concorrente maior, está revelando que, há uma década, a Petrobras desembolsa milhões de reais para não utilizar um oleoduto de 500 kms que atravessa a Amazônica e chega ao Pacífico através da Cordilheira dos Andes. É um contrato que ela assinou com OCP Equador, que lhe permitiu usar o oleoduto para escoar a produção dos poços que vinha explorando no Equador, mas a mudança na legislação equatoriana e a revogação de licenças ambientais impediram a continuação do trabalho. Só que devolveu a área pro Equador, mas continua pagando milhões e milhões para manter um oleoduto vazio que não serve pra nada.

E, nas redes sociais e portais dos jornais neste domingo, a notícia de que o fundo de pensão Petros da Petrobras, controlado por sindicalistas ligados ao PT, e, como vários fundos de pensão, muito usado em negociatas, tem uma perda que pode chegar a 500 milhões.

Segundo reportagem no portal do Globo, a ingerência política que afundou a Petrobras fez também o fundo de pensão Petros assumir mais de 40 planos deficitários.

Bom, esse negócio do fundo de pensão é um bom assunto que os neutros, os independentes e os oposicionistas deveriam ver com mais carinho. Afinal de contas, esse controle por sindicalistas do PT desse dinheiro, que ninguém sabe de onde vem nem para onde vai, pode estar produzindo escândalos de fazer esse da Petrobras parecer um miquinho, um miquinho pequeno, leão-dourado, né?

Pois é, o que eu gostaria de saber é o seguinte: o que é que faz a oposição? o Eduardo Campos e o Aécio Neves ficam aí fazendo campanha, pedindo CPI da Petrobras… Será que não existe mais aquela velha massa crítica de funcionários antigos da velha Petrobras que pudesse ajudá-los a fazer o levantamento para ver até que ponto chega o rombo que fez com que a Petrobras perdesse metade do seu valor patrimonial e caísse do 12º pro 120º, segundo o Financial Times.

Em vez de fazer demagogia, a oposição poderia trabalhar um pouco mais tecnicamente, né?