Equipe econômica ainda tem voto de confiança

  • Por Jovem Pan
  • 08/08/2016 18h37
Em evento em que anunciou recursos para o Bolsa Família e educação EFE/FERNANDO BIZERRA JR Michel Temer limpa o ouvido direito com o dedo médio

Ainda há um voto de confiança importante à nova equipe econômica, às propostas que vem apresentando para reequilibrar as finanças públicas no longo prazo. Que não se vê no curto prazo qualquer ação mais concreta nesse sentido, ao contrário. Há uma certa impaciência até quanto às concessões que estão sendo feitas pelo governo, como a aprovação de reajustes para o funcionalismo, para o judiciário, que acaba implicando aumento de gastos em vez de redução de despesas, comprometendo ainda mais essa perspectiva de um ajuste das contas públicas.

A PEC que vai limitar o aumento de gastos do governo, nas várias esferas do governo, aliás, é vista como uma proposta que pode de fato alterar a trajetória de evolução das contas. Mas os resultados mais positivos vão levar vários anos pra se confirmar. Então, o que se espera é que o governo Temer assuma de fato uma postura de maior austeridade, o que deve ocorrer logo após o impeachment da presidente Dilma. Essa é a grande aposta.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.