A esquerda continua no poder na França

  • Por Jovem Pan
  • 09/05/2017 08h06

François Hollande (esq.) e o presidente eleito da França Emanuelle Macron: venceram juntosEFE - François Hollande e o presidente eleito da França Emanuelle Macron: venceram juntos

Ainda a eleição presidencial francesa… Emmanuel Macron levou, mas não venceu sozinho. Há também um vencedor improvável, oculto e feliz (como tornou evidente o encontro dos dois na segunda-feira): François Hollande, que viu seu ex-ministro e candidato in pectore ganhar.

Lembrei, a propósito, da eleição brasileira de 2002 e de como Fernando Henrique Cardoso, ao abandonar José Serra, trabalhou por Lula, de cuja vitória mal conseguiu esconder a alegria.

Têm todos os méritos, repito, os marqueteiros que fizeram prosperar a imagem de um Macron centrista. Trata-se, porém, de um esquerdista, do tipo Fernando Haddad.

“Ah! Mas ele é homem do mercado!” E desde quando esse tal mercado exclui esquerdista? Não é Marina Silva a querida dos banqueiros nacionais? E a tal Carta ao Povo Brasileiro do PT? Não foi a melhor expressão da união entre mercado e esquerda? E olha que só dei exemplos brasileiros…

A esquerda, agora em capa independente, continua no poder na França. A novidade são os Rothschild. Está tudo dominado.