Existe livre concorrência na pecuária brasileira?

  • Por Jovem Pan
  • 01/07/2016 14h12
O pecuarista José Oliveira corta folhas de palma para alimentar o gado; a Bahia tem sofrido com a seca

O nome da empresa Eldorado Brasil, do grupo J&F, que controla o grupo JBS e Friboi, foi envolvido em nova fase da Operação Lava Jato, embora companhia negue ser alvo. Cunha teria recebido propinas em 12 operações de grupos empresariais.

Na macroeconomia do campo, os pecuaristas brasileiros há anos vêm esperando uma atuação pois toda a agropecuária brasileira está dominada por esse grupo, que comprou frigoríficos em vários estados.

Há um domínio completo do preço do boi no Brasil a tal ponto que deixou de ser um negócio altamente lucrativo e a pecuária brasileira está praticamente definhando.

É uma grande empresa, sem dúvida. Apenas esse grupo processa 11% da carne do mundo inteiro e possui frigoríficos na Argentina, na Austrália, na Europa e no mundo inteiro.

Isso aconteceu por meio de dinheiro do BNDES através do braço BNDESPAR. Eles depositaram dinheiro público em duas ou três empresas não como empréstimo, mas como partícipe do quadro acionário.

Assim foi criado esse monstro que domina a economia, a pecuária e o corte de carne no Brasil.

Temos que aplaudir o sucesso da empresa.

Mas o certo é que a Constituição, no artigo 170, diz que “ordem econômica é fundada na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa” e tem como um de seus princípios a “livre concorrência”.

Existe livre concorrência na pecuária brasileira?

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.