As gráficas foram a grande lavanderia de recursos da campanha de Dilma

  • Por Jovem Pan
  • 24/01/2017 12h12
Michel Temer e Dilma Rousseff - EFE

Polícia Federal conclui que o dinheiro pago para gráficas, pela chapa de Dilma Rousseff e Michel Temer em 2014, não era usado na campanha.

Relatório entregue ao Tribunal Superior Eleitoral indica que os recursos tinham como destino pessoas físicas, jurídicas e fornecedores.

Vera Magalhães comenta: As gráficas foram a grande lavanderia de recursos da campanha da Dilma. O principal fornecedor, depois de João Santana, foi uma dessas gráficas. Nenhuma impressão em larga justificaria o gasto milionário.

Eram usadas para pagar caixa dois para João Santana e outras campanhas de petistas. O caso se encaminha para a conclusão do relator de que houve de fato muitos problemas com a chapa.

Veremos se o ex-vice Michel Temer também sofrerá as consequências.