Iniciativa pelo uso das Forças Armadas deveria ter partido do presidente

  • Por Jovem Pan
  • 25/05/2017 10h13
Brasília - Segurança é reforçada no Palácio do Planalto (Valter Campanato/Agência Brasil) Valter Campanato/Agência Brasil exército - agbr

Nesta quarta-feira (24), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, solicitou o apoio de agentes da Força Nacional para conter os danos causados por manifestantes em Brasília. Mais tarde, o Governo decretou que as Forças Armadas atuassem.

Diz o Art. 142 da Constituição:

“As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem”.

O comentarista Marco Antonio Villa questiona o motivo pelo qual Maia fez a solicitação. “No meu entender, absolutamente correto, mas a iniciativa deveria ser do Executivo. Essa questão é para ver como é a balbúrdia que vivemos hoje no Brasil. Deveria o presidente da República ter tomado a iniciativa”, ressalta.

Villa ainda volta a defender a renúncia de Temer, antes mesmo de qualquer definição pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Assista ao comentário completo:

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.