Irritabilidade, auto depreciação e insensibilidade: Sinais da depressão

Preconceito com relação aos transtornos mentais pode inibir a pessoa de admitir que está doente e seguir o tratamento; em alguns casos, até mesmo familiares e amigos têm dificuldade para identificar ou aceitar o deprimido

  • Por Camila Magalhães
  • 24/02/2022 09h00
DCStudio - br.freepik.com Perto de um homem chorando por causa de problemas de saúde mental em uma reunião de terapia. adulto desesperado pedindo ajuda e conselho para curar o vício em álcool Ao contrário do que muitos pensam, a tristeza duradoura e a falta de prazer não são os únicos sintomas da doença

A depressão é uma doença crônica que pode se manifestar de diferentes formas. Dependendo da intensidade e duração, pode ser classificada como leve, moderada ou grave. Ao contrário do que muitos pensam, a tristeza duradoura e a falta de prazer não são os únicos sintomas. Embora sejam obrigatórios para o diagnóstico da depressão, outros sintomas também compõe o quadro. Por conta de características da própria doença, a pessoa deprimida tem muita dificuldade para procurar ajuda. Além disso, ainda existe muito preconceito com relação aos transtornos mentais. Isso pode inibir a pessoa de admitir que está doente e seguir o tratamento. Em alguns casos, até mesmo familiares e amigos tem dificuldade para identificar ou aceitar o deprimido. Pensando nisso, hoje e também no próximo programa, vou falar sobre os sinais que podem ajudar a identificar a depressão. Alguns deles são mais conhecidos, outros podem não ser tão óbvios. Então vamos lá!

  • Irritabilidade: Em algumas pessoas, o humor deprimido se manifesta na forma de irritação e raiva. Com isso, elas têm reações desproporcionais, “explosões” muito intensas e duradouras com coisas que elas sequer se preocupariam antes.
  • Mudanças nos padrões de sono: Dificuldade para pegar no sono, acordar no meio da noite ou muito antes do despertador tocar são sinais de alerta. Da mesma forma, sono exagerado e dormir demais também podem indicar que a pessoa não está bem.
  • Dificuldades de memória concentração: são sintomas que frequentemente andam de mãos dadas. Esquecer compromissos, atrasar cronicamente e não conseguir manter o foco em atividades simples, como fazer uma lista de compras.
  • Auto depreciação: alguns pacientes contam que eram confiantes no passado, mas começaram a duvidar de si mesmos quando adoeceram. Pensamentos autodepreciativos e visão de mundo e futuro pessimistas são sutis no começo e tendem a progredir com o tempo.
  • Insensibilidade: Sentir-se entorpecido é um sinal discreto de depressão. Não conseguir manifestar seus sentimentos, lamentar uma perda ou reagir a uma boa notícia são sintomas que incomodam também as pessoas que convivem com o doente.

Vale lembrar que manifestar um ou outro sintoma pontualmente não significa que você será diagnosticado com depressão. No próximo programa, vou continuar o assunto! Fiquei ligado. Tem alguma dúvida ou quer sugerir um tema? Escreve pra mim no Instagram @dra.camilamagalhaes

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.