Lava Jato tentou blindar Graça e Gabrielli

  • Por Jovem Pan
  • 19/04/2017 09h20
Ex-presidentes da Petrobras José Sergio Gabrielli (2005 – 2012) e Maria das Graças Foster (2012 – 2015) em depoimentos sobre o petrolão

Procuradores dizem que o material enviado ao juiz Sergio Moro complicam a situação dos ex-presidentes da Petrobras José Sergio Gabrielli (2005 – 2012) diretamente, e Maria das Graças Foster (2012 – 2015) indiretamente. As informações são da colunista Jovem Pan Vera Magalhães.

Marcelo Odebrecht disse que trocou e-mails com Graça Foster sobre o esquema de desvios em curso na estatal.

Ao se colocar como vítima dos desvios, a Petrobras busca se blindar de processos bilionários no exterior, especialmente de investidores dos Estados Unidos. A investigação de dois ex-presidentes jogaria esse esforço por terra.

Se ficar caracterizado que os presidentes da estatal estavam envolvidos em traficâncias, a situação da Petrobras no judiciário fica comprometida e as ações da empresa podem desmilinguir ainda mais.

Chama a atenção o fato de que os ex-presidentes da Petrobras e Graça Foster ainda não têm sido alvo de investigação.

A blindagem aos dois, no entanto, pode estar com os dias contados.