Lula para Presidente Bernardes

  • Por Jovem Pan
  • 27/09/2016 07h52
BRA55. SAO PAULO (BRASIL), 15/09/2016 - El expresidente de Brasil Luiz Inácio Lula da Silva hace un pronunciamiento hoy, jueves 15 de septiembre de 2016, en Sao Paulo (Brasil). Luiz Inácio Lula da Silva rechazó hoy las acusaciones de corrupción y lavado de dinero de la Fiscalía y, en un irónico y largo pronunciamiento, dijo que si le prueban algún delito irá caminando hasta la comisaría para su detención. "Prueben e iré caminando para ser detenido en Curitiba", afirmó el ex jefe de Estado al citar la ciudad desde donde la Fiscalía lidera todas las investigaciones sobre el gigantesco escándalo de corrupción en la petrolera Petrobras. EFE/Sebastião MoreiraImagens de Luiz Inácio Lula da Silva em discurso após denúncia - EFE

No Rio de Janeiro, Lula diz que “montou uma quadrilha para tirar 36 milhões de pessoas da miséria”.

Em referência a Deltan Dallagnol, o ex-presidente afirmou estar “indignado” com as acusações “de um menino procurador”.

Marco Antonio Villa comenta: esse é o “criminoso, cafageste e marginal, Lula”. “Marginal porque está à margem da lei”. Como diz Dallagnol, o “comandante máximo de uma organização criminosa”.

“E tem muita gente entrando na conversa do Lula”.

“Agora todo mundo é anti-Lula. Na hora que era pra ser todo mundo ficou escondido debaixo da cama”, disse Villa, questionando a classe C e a ascensão social promovida em seu governo.

“Hoje a grande preocupação do Lula é não ir para a prisão”. E pede: “Lula para Presidente Bernardes (presídio de segurança máxima)”.