Ministro da Casa Civil garante liberação total do FGTS

  • Por Jovem Pan
  • 19/01/2017 10h01
EFE Michel Temer e Eliseu Padilha EFE

O ministro da Casa Civil Eliseu Padilha garantiu nesta quinta-feira (19) a liberação integral para o saque de todas as contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, o FGTS. As informações em primeira mão são da colunista Jovem Pan Vera Magalhães. O jornal Folha de S. Paulo publicou nesta quinta que o presidente Michel Temer estudava rever a medida anunciada no final do ano passado, limitando os saques.

Padilha explicou o “mal entendido”. Segundo o ministro, houve uma reunião entre ele e a direção da Caixa Econômica Federal nesta quarta (18) para decidir como colocar em prática a liberação do fundo de garantia. Os dirigentes do banco estatal, então, sugeriram a aplciação de um teto de dez salários mínimos para saques, segundo o ministro.

Ainda de acordo com Padilha, o presidente Michel Temer foi consultado e imediatamente recusou a proposta, garantindo a liberação integral das contas inativas do FGTS, conforme fora prometido e anunciado. Portanto, os cerca de R$ 30 bilhões estimados pelo governo federal poderão passar a circular na economia a partir de fevereiro, estimulando a quitação de dívidas e o consumo.

Em breve o governo anunciará as regras de quem poderá sacar primeiro os recursos inativos do FGTS. A ordem poderá ser por valor armazenado, data em que a conta está inativa ou idade do contribuinte.

A Folha de S. Paulo informou nesta quinta (19) que o governo poderia limitar o saque do trabalhador. O objetivo seria evitar que aqueles que possuem muito dinheiro apenas transferissem o dinheiro para outra aplicação mais lucrativa, em vez de utilizá-lo para o consumo, estimulando a economia, o que seria o objetivo inicial. Além disso, um gasto excessivo dos fundos dos brasileiros poderia comprometer recursos guardados para futuras compras de casas próprias, prejudicando o mercado imobiliário.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.