Movimentação de Doria deixa Alckmin de cabelo em pé

  • Por Jovem Pan
  • 16/03/2017 13h17
Prévias PSDB - Alckmin e Dória

Com Serra, Aécio e Alckmin na lista de Janot, há espaço para o novo, que seria João Doria? Vera Magalhães comenta.

Em entrevista recente para o Jornal da Manhã, Doria disse que seu candidato à Presidência era Geraldo Alckmin, mas questionado sobre o que faria se houvesse um clamor, um apelo, em torno da seu nome, desconversou: “o apelo não foi feito ainda, então não posso responder”.

Embora Doria não compre atrito com o ex-prefeito Fernando Haddad, o prefeito busca sempre polarizar com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, líder nas pesquisas de intenção de voto para 2018.

Diz que o Lula não trabalha, que planta árvore de pau-brasil em homenagem ao petista, a quem chama de “maior cara-de-pau do Brasil”. E, entrevista ao SBT nesta semana, Doria voltou a criticar Lula e disse que a candidatura do ex-presidente é inviável.

Isso deixou o governador Geraldo Alckmin, que acompanha a movimentação, de cabelo em pé.

Até setores simpáticos ao PSDB hoje enxergam em João Doria alguém que não é político tradicional nem está citado na Lava Jato.

O Movimento Brasil Livre (MBL) vem enchendo a bola de Doria. Todas as iniciativas do prefeito de São Paulo são elogiadas em suas redes sociais e agora começou a fazer campanha mais aberta por Doria no Planalto em 2018.

Isso pode contrapor o prefeito paulistano e o governador paulista, embora os dois não tenham perfil belicoso e sejam amigos de longa data. Doria e Alckmin vão evitar um atrito explícito, mas nos bastidores essa disputa já começa.

Vendo os espaços se estreitarem, Alckmin defende a prévia antecipada para, se perder, ter a chance de disputar a Presidência por outra legenda.