Não é pessimismo, é realismo: a situação está complicada mesmo

  • Por Denise Campos de Toledo/ Jovem Pan
  • 16/12/2014 11h43

Não é pessimismo, é realismo.

Criticar a economia, falar de indicadores negativos, pode até dar a idéia que estamos torcendo contra. Nada disso. É que a situação está complicada mesmo.

Veja só: saímos da recessão tecnica,após dois trimestres de retração da economia, com um pibinho de 0,1% no terceiro trimestre. Passamos raspando. Só que agora veio a surpresa. Quando se imaginava, de novo, uma variação positiva, ainda que modesta, saiu po IBC-Br, do Banco Central, que é uma prévia do PIB, com queda de 0,26% descontando os efeitos sazonais. Isso que dizer que a economia teve uma nova retração.

Diante disso só dá pra contar mesmo com uma variação quase zero da economia este ano. Se é que não vamos fechar 2014 com queda do PIB. Mas independentemente do percentual, o fato é que teremos um desempenho medíocre da economia.

Pior é que o baixo crescimento não é o único problema. Ainda temos a inflação elevada, encostada no teto da meta, deterioração das contas públicas, das contas externas, balança comercial com déficit, sinais de piora do mercado de trabalho, queda de investimentos. Sem esquecer os desdobramentos da operação Lava Jato e outras denúncias de corrupção e desvio de verbas, abalando a Petrobrás e toda a credibilidade da economia e até do País.

Está bom pra você? O que acha: falar que a economia não está bem é pessimismo ou realismo?

Melhor ser realista, ainda que isso implique alguma dose de pessimismo, mas se preparando para enfrentar as adversidades, do que se iludir e ser atropelado pela realidade.