Não tivemos a percepção exata do que ocorria nos EUA

  • Por Jovem Pan
  • 09/11/2016 13h41

Donald Trump quer transmissão do Miss Universo

Wikimedia commons Donald Trump quer transmissão do Miss Universo

A gente não teve a percepção exata do que estava acontecendo nos EUA.

A gente imaginava que a srª Hillary Clinton seria a primeira mulher a governar a grande pátria americana. Não foi o que aconteceu. O povo decidiu por Donald Trump.

A gente não percebeu o óbvio, principalmente que há uma repulsa, especialmente da grande classe média massificada pela crise que tomou conta do mundo nos últimos anos, contra a estrutura macroeconômica imperante.

Os “Donalds Trumps” estão ewspalhados pelo mundo. O Brexit é a volta da Inglaterra para si mesma. A Alemanha restringe em vários pontos as benesses sociais aos imigrantes residentes no País.

Outros países europeu pedem que imigrantes deixem o País.

Mas essa onda não é por causa dos imigrantes. Eles são efeito de uma estrutura econômica e capitalismo globalizado que praticamente extirparam a capacidade de países miseráveis de construir uma sociedade possível para seus próprios nacionais.

O embaixador Rubens Ricupero chamou a atenção que a grande vitóra de Trump foi no chamado cinturão da ferrugem, parque industrial americano, que exportou suas indústrias.

O discurso é uma coisa e o exercício da Presidência é outra coisa.

Ninguém seria louco nem teria condições para extravasar todas as suas inspirações nazistas quando exerce o poder em uma república. Há limitações que impedem que as loucuras se façam.

Na história não teremos mais a possibilidade, embora exista o risco, da construção de um Hitler ou nazismo terrível que leve a humanidade à perda de 50 milhões de vida.

Esse temor não existe. O mundo vai continuar em paz.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.