No topo das preocupações de seus adversários, Cunha é tudo menos ingênuo

  • Por Jovem Pan
  • 16/10/2015 11h10
Sessão extraordinária para discussão e votação de diversos projetos Data: 15/10/2015 - Foto: Alex Ferreira / Câmara dos Deputados Alex Ferreira/Câmara dos Deputados Eduardo Cunha

Quem tem razão: os jornais que estão dando conta de acordos que estão sendo costurados ou os protagonistas que fingem que não é com eles?

Pode se falar qualquer coisa do presidente da Câmara, o deputado Eduardo Cunha, mas não que ele é ingênuo ou bobo. Ele é muito esperto, e tem até agora se mantido no topo das preocupações, exatamente de seus adversários que contam, ou pelo menos contavam, com seu enfraquecimento com o seu nome sendo investigado na Lava Jato, que trata de uma devassa, as petrorroubalheiras.

Ele está dizendo, espertamente, que não fez esse acordo do qual os jornais estão falando. É claro que o PT também nega; Rui Falcão já diz que isso é coisa da direita.

De qualquer maneira, a nós que estamos aqui na província e na planície pagando as contas para os que estão la no alto do castelo, resta a impressão de que é um acordo de bandidos, porque o que Eduardo Cunha quer é impunidade. Dilma pode dar? Não.

Lula pode negociar uma certa benemerência no Conselho de Ética da Câmara com deputados do PT e o presidente do Conselho, José Carlos Araújo, é pau mandado de Jaques Wagner, chefe da Casa Civil de Dilma.

Dilma não pode prometer eternamente perdão, seja do juiz Sérgio Moro, em quem ela não manda, seja da PF, em quem também ela não manda, seja do MPF, ou do STF.

O Ministro Gilmar Mendes, do Supremo, já ironizou dizendo que não há governo que se sustente em liminar. O que o governo tinha que ter era 171 votos no Congresso.

Com a experiência de quem tentou ajudar Collor na tentativa de fugir do impeachment, o ministro sabe que Dilma não tem esses 171 votos, e por isso apelou para ganhar tempo no Supremo.

No meio dessa confusão toda, fica a oposição com sua parte no nojo e no prostíbulo. É simplesmente fora de qualquer esquadro comentar o que é essa oposição chefiada pelo neto de Tancredo Neves, que foi, até a morte, uma espécie de grande esperança do povo brasileiro.

Já que estamos nessa fase de nojo, só nos resta, realmente, vomitar.