Noite memorável para o atletismo brasileiro

  • Por Jovem Pan
  • 16/08/2016 13h31
. Rio De Janeiro (Brazil), 15/08/2016.- Thiago Braz da Silva of Brazil celebrates after clearing 6.03m in the Men's Pole Vault final of the Rio 2016 Olympic Games Athletics, Track and Field events at the Olympic Stadium in Rio de Janeiro, Brazil, 15 August 2016. (Atletismo, Brasil) EFE/EPA/DIEGO AZUBELThiago Braz comemora ouro com recorde olímpico no Engenhão. A noite era dele.

O segundo ouro do Brasil nas Olimpíadas marcou uma noite memorável para o atletismo brasileiro. Nosso atleta pulou 6,03 metros batendo o recorde olímpico.

Na estrutura dessa disputa o francês deu show: saltava sempre na primeira tentativa, enquanto o brasileiro se esforçava para atingir cada nova marca.

Thiago vem de uma linhagem de grandes campeões. Ele é treinado por Vitaly Petrov, mentor de grandes Sergei Bubka e Yelena Isinbayeva.

Vale ressaltar um ato em desabono da torcida brasileira, que vaiou o francês. Mas a torcida brasileira tem saudado Usain Bolt, os ginastas, e reecepcionado muito bem os atletas estrangeiros.

Mas ali era a noite de nosso atleta Thiago Braz.

Dá para justificar as vaias?

As emoções coletivas são injustificáveis. Elas integram a natureza do ser humano.

Um dos maiores racionalistas da história, Francis Bacon, dizia “o coração tem razões que a própria razão desconhece”

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.