O Brasil não pode ficar refém de Michel Temer

  • Por Jovem Pan
  • 23/05/2017 10h07
População ignorou o frio e saiu às ruas nesta quarta-feira EFE Manifestos pelo Brasil pedem a saída de Temer

As necessidades imediatas que o Brasil tem não podem ficar aguardando a vontade unilateral pela renúncia de Temer. Agora dizem que a decisão dependerá mais do Tribunal Superior Eleitoral, que julga a cassação da chapa Dilma-Temer.

“TSE estava empurrando com a barriga desde o final do ano passado”, diz Marco Antonio Villa. “Até quarta, a leitura era que TSE ia acertar Dilma e livrar Temer. O placar já era sabido de 5 a 2, mas com os fatos de agora, o Brasil virou de ponta cabeça. Agora parece que vai ser 5 a 2 pela anulação da eleição. Mostrando que foi a eleição mais suja da história. Questão que se coloca é imaginar que TSE vai anular eleições? A questão era o contrário. A intenção é empurrar até o dia 06”, completa.

Villa explica que, quanto mais rápido se encerrar a agonia, melhor para o Brasil. “Hoje a crise tem nome e chama-se Michel Temer. Não bate o que ele fala com a realidade dos fatos. Ele tem consciência, a não ser que esteja no terreno da psicopatia. Ele teme ser preso ao perder foro privilegiado”, finaliza.

Assista ao comentário completo:

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.