“O Coração dos Outros” traz poemas comoventes e retratos de instantes que não se apagam

  • Por Jovem Pan
  • 11/09/2014 20h57

“O Coração dos Outros” é o título do livro do poeta Celso de Alencar. Uma poesia das mais sérias desse país, um poeta de verdade e que tem a verdade na sua forma de poesia.

São poemas de um tempo de muita escuridão, de becos sem saída, de lembranças, de imagens antigas que persistem em viver na memória. O livro é publicado com o selo Pantemporâneo, do artista plástico Valdir Rocha.

Celso de Alencar nasceu em Fortaleza, em 1949. Passou a infância no Pará e vive em São Paulo desde 1972. Os poemas de Celso de Alencar seguem uma narrativa profundamente poética ligada à vida do homem, principalmente.

Poemas comoventes, retratos de instantes que não se apagam. O poeta utiliza essa matéria prima do próprio tempo que o envolve, deixando marcas de uma poesia que chega a ferir.

É difícil. Muito difícil encontrar um poeta assim como Celso de Alencar. Exatamente agora, em que a poesia deste país, em sua grande parte, não passa de uma grande aventura. Posso dizer, sem erro, que “O Coração dos Outros” é um dos melhores livros de poemas lançados nos últimos anos.