“O exemplo vem sempre de cima”

  • Por Jovem Pan
  • 10/02/2017 12h35
BRA103. BRASILIA (BRASIL), 14/09/2016.- El presidente brasileño, Michel Temer, saluda al ministro de Salud, Ricardo Barros (d), hoy, miércoles 14 de septiembre de 2016, durante un acto, celebrado en el Palacio presidencial de Planalto en Brasilia (Brasil). Temer anunció hoy que su Gobierno destinará 1.000 millones de reales (unos 303 millones de dólares) adicionales al área de salud y reiteró que no tiene previsto reducir la inversión en asuntos sociales. EFE/FERNANDO BIZERRA JRMichel Temer e ministro da Saúde Ricardo Barros EFE

Nunca foi sonho da Jovem Pan fazer programa policial de manhã, mas não tem jeito: todo dia tem uma novidade trazendo nome novo de uma alta corrupção.

Sarney, Jucá e Calheiros são investigados após decisão do ministro Fachin.

O companheiro José Maria Trindade informou em Brasília que hoje já não se dá bola para indiciamento, porque, se isso for feito, o País para. São 65 que estão na rota da Lava Jato e o número pode atingir mais de 100.

A capa do jornal Folha de S. Paulo mostra que o ministro da Saúde, Ricardo Barros, gastou em um negócio o correspondente a 15 vezes o seu patrimônio.

Há também o fantástico nepotismo no Brasil. O ministro Marco Aurélio Mello, do STF, suspendeu a nomeação do filho do prefeito do Rio, Marcelo Crivella, para o cargo de secretário da Casa Civil.

Marco Aurélio disse: “É preciso ter apego às leis. No Brasil, não precisamos de mais leis, precisamos de homens, principalmente públicos, que observem o arcabouço normativo em vigor. E o exemplo vem sempre de cima” .

O ministro considerou a nomeação do filho de Crivella como uma ato de “ingenuidade” e de “abandono do razoável”.