O mundo está de olho no resultado das urnas na Escócia

  • Por Mona Dorf/Jovem Pan
  • 18/09/2014 16h52

Mona, porque o plebiscito sobre a independência na Escócia está despertando tanto a atençáo?

Depois que os escoceses forem ás urnas nesta quinta decidir se querem se separar ou náo do Reino Unido, o mundo estará de olho nesse resultado.

Isso porque a decisão poderá afetar outros países, abrindo um precedente para movimentos históricos que reivindicam autonomia como o País Basco, a Catalunha onde mais de 1 milháo e meio de espanhóis saíram ás ruas reivindicar um plebiscito igual em relação à Espanha, há uma semana.

O nacionalismo ganha espaço na Europa, com o surgimento de outros grupos que acreditam que com a independência dos países ao qual pertencem terão mais autonomia pra decidir seus destinos e melhores condições de vida. Flandres na Bélgica, Padânia na Italia, a ilha da Corsega na França sáo as novas regiões com movimentos independentistas. Desejam a adesão a Uniáo Europeia, á Zona do Euro, e a OTAN, Organizaçao do Tratado do Atlântico Norte, como se fosse uma mudança de paradigma.

No caso da Escócia, a população está dividida e com razão. Romper com o capitalismo financeiro da City, náo é garantia de que o novo governo fará politicas que interessem mais à população. Apesar de ter diminuído bastante o welfare state – o estado de bem estar social -, os homens de Westminster ainda garantem aos ingleses, por exemplo, um dos melhores serviços de saúde. Tanto representa motivo de orgulho dos britânicos que é um símbolo nacional.

Todos devem se lembrar da bela homenagem ao Sistema Nacional de Saúde (NHS, é a sigla em inglês) na abertura na abertura dos Jogos Olimpicos em Londres, com a coreografia das camas de ferro hospitalares… Nas ultimas eleições para o Parlamento Europeu, líderes nacionalistas como Marine Le Pen, na França e Alex Salmond, o primeiro ministro da Escocia se destacaram chamando a atenção. Eles capitalizam uma insatisfação popular e uma certa xenofobia em relação aos imigrantes e aproveitam pra levantar a bandeira da separação. Resta saber se optar pela independência náo é trocar 6 por meia dúzia.