O que Cunha quer é tempo no processo de cassação de seu mandato

  • Por Jovem Pan
  • 15/10/2015 17h31
Antonio Cruz/Agência Brasil Eduardo Cunha

Por que a oposição vive bajulando Eduardo Cunha e levando coices dele?

Os jornais estão revelando nesta quarta-feira que Eduardo Cunha, que tinha ficado furioso (a palavra que ele usou não foi essa, mas é de baixo calão e eu não vou usar) com a nota ridícula, em cima do muro, uma nota cínica e oportunista que a oposição soltou a seu respeito, mordendo e assoprando.

E mais: reunido com os líderes da oposição em sua casa, ele disse que a oposição vai puxar o tapete dele assim que ele autorizar o começo do processo do impeachment.

Eduardo Cunha tem dois ministérios no governo Dilma. Será que esses babacas da oposição não percebem isso? Pois é, ele estava fazendo o seguinte jogo: “Eu não vou aceitar o impeachment, então vou passar para o plenário”. E tudo o que os ministros Teori Zavascki e Rosa Weber fizeram foi tirar o queijo da mão dele. Mas ele ficou com a faca.

Se ele realmente quiser, ele simplesmente convoca uma comissão específica para o impeachment e abre o processo. Acontece que ele não quer. Ele não quer porque está enrolado, ele é um fora da lei. Pelo menos está sendo denunciado por ter feito uso de propinas da Petrobras.

E o que ele quer? Ele quer ganhar tempo nesse processo de cassação do mandato dele de deputado. O presidente da Comissão de Ética da Câmara é adversário dele, o José Carlos Araújo (PSD-BA), e é aliado de Jaques Wagner, chefe da Casa Civil de Dilma.

Ou seja, Dilma é quem vai controlar o ritmo do processo de cassação, ou pelo menos de recomendação de cassação pela Comissão de Ética na Câmara. Metade do PT, espertamente, já pediu essa cassação por falta de decoro parlamentar.

Enquanto isso, a oposição fica fazendo esse joguinho de bajulá-lo para ver se consegue o impeachment. Vamos apostar que não consegue?