O que fazia um deputado estadual com integrantes do PCC?

  • Por Jovem Pan
  • 24/05/2014 13h21

Nêumanne, é normal um parlamentar se reunir com bandidos e dizer que estava participando de uma reunião normal com a sua categoria?

O deputado estadual Luiz Moura, do PT, não é propriamente uma pessoa de currículo rotineiro. Ele tem na sua biografia o fato de ter sido presidiário porque foi condenado por assalto a mão armada. Ele fugiu da cadeia e em cerca de 4 anos conseguiu construir um patrimonio de R$5 milhões.

É um verdadeiro “homem que se fez por si mesmo”. É um homem honesto porque declarou o seu patrimonio à Justiça Eleitoral. Isso não quer dizer que ele declarou a origem , mas declarou , o que muito pouco político faz.

Pois é, ele participou de uma reunião em março, em que segundo a polícia estavam presentes 13 integrantes do PCC, entre eles, segundo a Folha de São paulo, um dos integrante de participar do assalto do BC do Ceará em 2005, além de um procurado de participar de roubo a bancos.

Moura é tido como grande aliado do secretario municipal de Transportes Jilmar Tatto. E a Transcooper tem autorização para explorar linhas em três áreas da cidade. Pois é, os adversários não gostaram da companhia dele. “Diga-me com quem andas te direi quem és”, coisas do genero…

E os aliados que a direita golpista é muito preconceituosa contra ex-presidiários que devem ser incorporados à vida da sociedade. Só que ao ser flagrado pela polícia na reunião o deputado preferiu não falar. Mandou a assesoria dizer que ele estava em reunião com a categoria.

Qual categoria? A dos assaltantes de supermercados ou de assaltantes de banco? Eu não entendi bem com é a categoria, seja qual foi eles têm direito a representação, fazer o quê!?