O sonho da esquerda carioca que curtiu um som na praia

  • Por Jovem Pan
  • 29/05/2017 14h57
BRA03. RÍO DE JANEIRO (BRASIL), 28/05/2017.- Cientos de personas participan en una manifestación que contó con presentaciones artísticas en contra del presidente brasileño Michel Temer hoy, domingo 28 de mayo de 2017, en la playa de Copacabana, en Río de Janeiro (Brasil). Bajo el lema "Directas Ya", artistas e intelectuales brasileños pidieron hoy en Río de Janeiro la celebración de elecciones generales y aumentaron la presión sobre el presidente Michel Temer, quien insiste en que terminará su mandato y cambió al ministro de Justicia en medio de la crisis. Varios miles de personas se reunieron en la avenida Atlántica, frente a la playa de Copacabana, en una protesta convocada por movimientos sociales y sindicatos y a la que acudieron decenas de representantes del mundo de la cultura para exigir comicios y que se acabe el mandato Temer, envuelto en un grave escándalo de corrupción. EFE / Marcelo SayãoProtesto na orla de Copacabana contou com a presença de diversos artistas

Vestida de anos oitenta, a esquerda carioca foi à praia hoje pedir Diretas Já e curtir um som. Só faltou gritar abaixo à ditadura. Houve dúvida sobre a origem da neblina que cobria a cidade.

Eram – com generosidade – mil democratas vestidos de vermelho, com bandeiras da CUT, do MST, do PSOL e de outras linhas auxiliares do PT, todos visivelmente em defesa dos interesses do Brasil.

Estiveram ali pelo desejo de votar para presidente – mesmo que isso signifique uma afronta à Constituição. O ouvinte sabe como é: para os objetivos magnânimos de pessoas do bem como Wagner Moura e Caetano Veloso, a Constituição Federal é livro com o qual se pode manobrar.

Marcelo Freixo também esteve lá. Mas não se engane: se o país fosse como sonham, não seria ele o presidente. Seria Lula.