Polícia do RJ é corrupta, violenta, atira pra matar e nunca pergunta

  • Por Jovem Pan
  • 13/01/2015 20h44

Pergunta: Nêumanne, o que tem a ver o assassinato por assaltantes do estudante e o tiro do policial que matou a moça no Rio de Janeiro?

Resposta: Alex Schumacher Bastos, de 23 anos, prestes a se formar na Universidade Federal do Rio de Janeiro foi morto no ponto do ônibus por assaltantes. A mãe, desolada, foi fotografada no ponto, os amigos fizeram uma passeata assumindo o slogan de Paris, em vez de “Eu sou Charlie”, “Eu sou Alex”, na zona Sul do Rio de Janeiro.

Enquanto isso, em Nilópolis, a Polícia foi flagrada pelo vídeo gravado na própria rádio Patrulha que foi divulgado pela revista Veja atirando em Raíssa Motta, uma jovem que estava no carro no qual não havia nenhum bandido e que, por um acaso desses terríveis, mereceu a atenção de uma rádio Patrulha e os policiais, um deles atirou sem ter parado ninguém, sem ter consultado ninguém, sem ter checado nada.

Todos eles, tanto o rapaz quanto a moça, são vítimas da imensa incompetência da Polícia do Rio de Janeiro que é uma Polícia corrupta, violenta, que atira pra matar e nunca pergunta. A Polícia que matou Amarildo também matou Raíssa e matou porque é uma polícia que não tem treinamento, não sabe fazer abordagem, não segue os princípios básicos da atividade policial, não é treinada, não é incentivada a fazer as coisas corretamente, ao contrário, é estimulada a atirar para matar, nessa mentalidade BOPE, que já levou um Coronel a demissão por emitir declarações nazistas pelo WhatsApp.

A Polícia do Rio vive da propaganda falsa das unidades pacificadoras que não pacificaram nada e que gozam […] dos meios de comunicação porque isso parece bonito. Mas a Polícia do Rio é ruim pra reprimir os ladrões que mataram Alex e péssimo pra matar, como fizeram os soldados que abordaram […] em que viajava Raíssa Motta, que terminou morta.

Isso tudo é incompetência dos governos Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão, estamos conversados.