A ponta do novelo

  • Por Jovem Pan
  • 27/01/2017 08h54
Audiência pública para tomada de depoimento do empresário Eike Batista na CPI do BNDES da Câmara

Foragido, Eike Batista pode ser preso em qualquer um dos 190 países onde a Interpol atua, mas negocia com autoridades o retorno ao Rio de Janeiro.

O empresário é acusado de pagar US$ 16,5 milhões de dólares em propina a Sérgio Cabral, por meio de uma venda fictícia de uma “mina de ouro”.

Joseval Peixoto comenta: e essa é a ponta do novelo.

Com a Lava Jato aparentemente vamos descobrir como houve essa expansão de milhões e milhões de Eike Batista no governo do PT.