Por 2018, Renan faz aliança com Lula

  • Por Jovem Pan
  • 29/06/2017 12h06
Renan Calheiros e Luiz Inácio Lula da Silva em reunião em abril de 2016

Renan Calheiros está em franca aliança com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Sabendo que sua situação jurídica se complica na Lava Jato, o ex-presidente do Senado se junta ao petista, que tem grande força no nordeste.

Com Lula nos palanques alagoanos de Renan e do filho, governador do Estado Renan Filho, Calheiros aposta na reversão de sua impopularidade.

Assim, o ex-líder do PMDB no Senado se coloca em rota de colisão com Michel Temer, altamente impopular, e faz duro discurso contra as reformas econômicas que mudam as regras trabalhistas.

Fora da liderança da sigla, Renan tem menos poder de influenciar na agenda. E isso funciona como boa notícia para Temer. As informações são da colunista Jovem Pan Vera Magalhães:

Trégua

Esta quarta-feira (28) foi um dia de trégua aparente para o governo Temer, que mostra certa capacidade de articulação.

Não do tamanho da euforia dos ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco, que bateram bumbo logo após a aprovação da reforma trabalhista na Comissão de Constituição e Justiça.

A reforma vai ao plenário e será votada ainda antes do recesso. As mudanças nas regras trabalhistas sofreram um abalo na semana anterior, quando rejeitada na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) após cochilo do governo.

A aprovação na CCJ ocorreu no dia em que Renan Calheiros foi substituído como líder do PMDB no Senado e em que Temer nomeou Raquel Dodge como nova procuradora-geral. Os três movimentos serviram ao governo para se posicionar em meio à onda de denúncias e acusações que pesam sobre o presidente da República.

Mesmo o discurso de Renan contra Temer acaba sendo bom para o presidente. A fala do ex-presidente do Senado soa falsa.