Prática de exercícios diminui chances de desenvolvimento de neuropatia periférica

  • Por Jovem Pan
  • 30/01/2017 10h41
Internet

Um dos efeitos colaterais da quimioterapia é a neuropatia periférica, que atinge as pontas dos dedos dos pés e das mãos e provoca falta de sensibilidade e formigamento.

Atividades como pegar um garfo, abotoar uma camisa ou abrir a porta com uma chave, ou digitar, por vezes, ficam mais difíceis. O caminhar também é prejudicado por causa da perda do equilíbrio.

No entanto, um estudo nos Estados Unidos apontou que a prática de exercícios físicos pode prevenir danos aos nervos periféricos dos pacientes tratados com tipos específicos de quimioterapia.

O estudo separou pacientes em dois grupos: os que fizeram atividade regular por seis vezes na semana, e os que não fizeram. Os dois grupos foram observados e o estudo concluiu que o primeiro grupo apresentaram menores chances de neuropatia periférica.

O oncologista Fernando Maluf destaca a importância da atividade física, que deve ser feita com o acompanhamento de um profissional.

Confira: