Psicóloga explica “nova dimensão do sexo” pós “50 Tons de Cinza”

  • Por Jovem Pan
  • 23/02/2015 17h25
Divulgação 50 Tons de Cinza tem record de ingressos

O filme “50 Tons de Cinza” quebrou paradigmas: nunca se falou tanto sobre sexo. O assunto deixou de ser tabu até em conversas femininas. A psiquiatra Carmita Abdo, coordenadora do programa de sexualidade do Hospítal das Clínicas, explica que o sucesso do livro e agora longa-metragem não se dá apenas devido ao componente sexual.

“É uma história muito atual, traz uma nova perpectiva no comportamento sexual como se dá nos dias de hoje. sobre o No fundo, é uma história de amor. Mescla sexo e componente afetivo que agrada as mulheres”, afirmou.”A pessoa vai se permitindo repetir a experiência. A conversa entre os dois parceiros é muito importante”, completou.

As diferenças diante do mundo moderno entram nessa conta:”o ser humano sempre foi muito erótico. A questão é que hoje o que estamos vivendo é que a privacidade das pessoas está cada vez mais exposta. O que era privativo, hoje é compartilhado de forma mais abrangente. Com isso, o sexo ganhou nova dimensão”.

Ouça a entrevista completa no áudio.