PT quer evitar a explosão de duas delações-bomba

  • Por Jovem Pan
  • 17/04/2017 13h19
BRA01. CURITIBA (BRASIL), 26/09/2016.- El exministro de Hacienda de Brasil, Antonio Palocci, uno de los hombres más influyentes en los Gobiernos de Luiz Inácio Lula da Silva y Dilma Rousseff, llega hoy, lunes 26 de septiembre de 2016,a declarar en el caso de corrupción de la Lava Jato donde es acusado de recibir sobornos para intervenir en ambas administraciones en defensa los intereses de la constructora Odebrecht, en Curitiba (Brasil). EFE/HEDESON SILVAEFE - Ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci chega a Curitiba em prisão temporária para falar à Lava Jato

Bastidores do PT calculam desgaste político de Lula após vídeos de delatores da Odebrecht.

Na avaliação interna do partido, as suspeitas devem causar forte impacto na opinião pública e também em parte da militância.

Vera Magalhães comenta: a preocupação do PT é que duas bombas não explodam: Antonio Palocci e João Vaccari. Se qualquer um deles confirmar a delação premiada, pode entregar o caminho do dinheiro, entregue pela Odebrecht ao Palocci, e daí para o Lula. Já Vaccari pode entregar a Dilma.

Eles estão sendo monitorados pelo PT. O advogado de Palocci, Battochio, inclusive é o mesmo do Lula e tem servido de pombo-correio para evitar que o ex-ministro da Fazenda, emissário do dinheiro, feche uma colaboração.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.