Pude assistir a essa coisa simples, que é a festa junina

  • Por Jovem Pan
  • 22/06/2015 14h19

Dezenas de barracas de canjica Raul Spinassé/Ag A Tarde/Folhapress Festa junina

Joseval Peixoto comenta como comemorou sua Festa Junina neste fim de semana.

São João é celebrado nesta quarta, 24 de junho, e São Pedro, dia 29.

Mas em São Paulo, a festa se faz no fim de semana, no sábado. E eu pude participar ontem e assistir a essa coisa simples, que é a festa junina, que me lembrou os fundões da minha infância, quando os Antonios, Joães e Pedros ricos do interior disputavam realizar a melhor festa.

A festa ocorreu no Planalto Paulista, em frente à igreja Nossa Senhora de Lurdes, onde a CET fechou a rua.

As famílias estavam ali sem pompa e sem circunstâncias. Apenas um alto-falante tocava as músicas juninas.

Mas eram dezenas de barracas de canjica, quentão, pipoca, algodão-doce, e as crianças brincando num ato simples da vida.

E a lua escondida. Mas logo estará cheia.

Uma falta que senti foi a bandeira de São João, cantada por Menotti Del Picchia em João Mulato:

Nuvens voam pelo ar como bandos de garças, 
Artista boêmio, o sol, mescla na cordilheira 
pinceladas esparsas  
de ouro fosco.  Num  mastro, apruma-se a bandeira 
de São João, desfraldando o seu alvo losango.

Foi bonito. Uma reunião simples. Uma reunião bonita.

As bandeirinhas, por sua vez, trazem à memória música de Dalva de Oliveira:

Noite fria, tão fria de junho.
Os balões para o céu vão subindo,
Entre as nuvens, aos poucos sumindo,
Envoltos num tênue véu.
Os balões devem ser, com certeza,
As estrelas daqui deste mundo,
E as estrelas do espaço profundo
São os balões lá do céu.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.