Reta final de campanha paulistana deve ser “sangrenta”

  • Por Jovem Pan
  • 23/09/2016 09h28
Doria

Com o triplo empate técnico entre João Doria Jr. (PSDB), Celso Russomanno (PRB) e Marta Suplicy (PMDB), anunciado na mais recente pesquisa Datafolha, há a prenúncia de um final de campanha encarniçado, “sangrento”, em São Paulo, com ataques de todos os lados dos candidatos que buscam uma vaga no segundo turno.

Em queda nas pesquisas, Russomanno está sob ataque. Marta também está sob ataque, tanto de Doria quanto de Fernando Haddad (PT). O petista tenta captar parte dos votos da esquerda e Doria prefere Russomanno a Marta como adversário no segundo turno. Em rota ascendente, Doria ainda está sendo poupado das duras críticas dos adversários e tem conseguido emplacar seu discurso. O tucano tem boas chances de ir para a próxima fase.

Haddad, que só chegou aos dois dígitos (10%) de intenção de voto agora, tem defendido o ex-presidente Lula em palanques a contragosto. Luiz Inácio Lula da Silva, réu na Lava Jato, não entrou no tempo de televisão do petista que busca a reeleição, no entanto.

Assista no comentário de Vera Magalhães, que também abordou a Operação Arquivo X desta quinta (22) e discurso de Lula contra a Operação Lava Jato: