Rubio: o pré-candidato capaz de apaziguar republicanos e assustar a vovó Hillary

  • Por Caio Blinder/ JP Nova Iorque
  • 31/10/2015 14h18
Gage Skidmor/ Wikimmedia Commons Senador Marco Rubio Senador Marco Rubio

A eleição presidencial americana de 2016 leva cada vez mais jeito de que não será uma guerra dos tronos entre as dinastias Clinton e Bush. Na grande batalha não parece haver dúvidas de que estará Hillary Clinton, a ex-primeira-dama e ex-secretária de estado pelas hostes democratas. Não tem concorrente de peso nas primárias partidárias. Saiu-se muito bem no primeiro debate democrata na semana passada.

Já o outro herdeiro do trono, o republicano Jeb Bush, filho e irmão de presidentes, foi melancólico esta semana no terceiro debate das primárias partidárias. Seu atestado de óbito está sendo assinado por analistas ao longo do espectro ideológico. Não basta ter muito dinheiro para decolar na campanha.

Os analistas saúdam Marco Rubio, o senador da Flórida de quem Jeb foi mentor nos tempos em que era governador do estado. Articulado, ousado para peitar políticos veteranos, com conhecimento dos assuntos e com uma mensagem otimista, que contraste com o tom ressentido do outro filho de cubano que brilhou no debate de quarta-feira passada, o senador por Texas Ted Cruz.

É verdade que nas pesquisas das primárias republicanas, a liderança está com a dupla de candidatos noviços, que nunca tiveram cargo público, o bilionário bufão Donald Trump e o neurocirurgião Ben Carson. A base do partido, furiosa com tudo o que está aí, gosta dos dois, apesar das bobagens que dizem e da acintosa falta de conhecimento sobre os grandes temas nacionais e internacionais. No entanto, a disputa é uma maratona e o vigoroso Marco Rubio dá mostras de que tem fôlego. Ele parece ser o único candidato hoje em condições de apaziguar a guerra civil dos republicanos, travada por insurgentes e as elites do partido.

Se ele chegar lá, ou seja, triunfar nas primárias que começam em fevereiro próximo e prometem ser longas neste ciclo eleitoral, será um competidor que assusta a vovó Hillary Clinton, de 68, Seria o ideal para ela ter do outro lado um bufão como Trump ou outro membro da realeza, como Bush. Mais preocupante seria um filho de imigrante de 44 anos, fotogênico e que bate pesado com um sorriso. De um lado, a herdeira de uma dinastia. Do outro, a promessa de renovação. Claro que Hillary terá munição. Afinal, Rubio é um senador em primeiro mandato e inexperiente, muito eloquente, mas sem grandes feitos políticos. Lembra um político democrata que foi atacado sem tréguas pelos republicanos em outras campanhas. Seu nome: Barack Obama.