Sessões no TSE podem ir até semana que vem após mais um embate

  • Por Jovem Pan
  • 08/06/2017 10h58
BRA119. BRASILIA (BRASIL), 06/06/2017.- El relator del proceso ministerial, Herman Benjamín, participa en una audiencia parte del proceso contra Dilma Rousseff y Michel Temer hoy, martes 6 de junio de 2017, en Brasilia (Brasil). El Tribunal Superior Electoral de Brasil retomó hoy el proceso que decidirá si la campaña que Dilma Rousseff y Michel Temer compartieron en 2014 fue financiada con dinero de la corrupción, lo que pudiera desalojar del poder al actual mandatario. EFE/Joédson Alves EFE/Joédson Alves Relator do processo de cassação da chapa Dilma-Temer

Nunca se viram preliminares tão longas como na sessão do TSE que julga a chapa Dilma Rousseff-Michel Temer. Os ministros devem decidir na sessão desta quinta-feira se se estendem para o fim de semana ou para semana que vem, o que provavelmente será o caso.

O governo ainda aposta na absolvição da chapa.

Na quarta (7), tivemos mais um dia de embate. Não parece haver muita dúvida em relação ao vencedor desse duelo. O relator Herman Benjamin derrubou as preliminares com bastante técnica.

Ele deu todo o histórico do processo para mostrar que alegações de nulidades e elementos estranhos ao processo são extemporâneas.

Deve ter convencido até mesmo os ministros que devem votar a favor de Temer, que ficaram sem argumentos.

Já o presidente do TSE ministro Gilmar Mendes foi deselegante com Herman e o acusou de estar em busca de fama, de brilho. Herman ignorou. No final da sessão, o próprio Gilmar elogiou Herman.

Eram tão inconvenientes as intervenções de Mendes, a ponto de Rosa Weber dar uma espécie de bronca pelas interrupções constantes que o presidente fazia ao ministro Herman Benjamin.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.