Sob capa da neutralidade, Temer atua a favor de Maia e para fragilizar Centrão

  • Por Jovem Pan
  • 04/01/2017 11h31
Brasília - Presidente Michel Temer durante coquetel com parlamentares da Base Aliada na residência oficial do Presidente da Câmara dos Deputados, Deputado Rodrigo Maia. (Carolina Antunes/PR)Michel Temer afaga presidente da Câmara Rodrigo Maia e vice-versa - PR

O destaque final de Vera Magalhães no Jornal da Manhã vai para a disputa pela presidência da Câmara.

O presidente Michel Temer disse que não vai se envolver na disputa, mas vai deixar de ir ao Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, para se dedicar ao front doméstico. As duas mensagens são contraditórias. O fato é que sob o discurso da neutralidade, Temer atua nos bastidores para favorecer a reeleição de Rodrigo Maia, do DEM, que considera mais confiável para conduzir os trabalhos da Câmara no ano em que serão discutidas as reformas da Previdência e trabalhista.

Maia é distante do chamado “Centrão”, um grupo de partidos médios que tinha forte peso na época da presidência de Eduardo Cunha. Temer pretende desidratar o poder de influência desse grupo, que constantemente joga com o apoio do governo em troca de seus próprios interesses.

Para desarticular o bloco, o presidente conta, inclusive, com o apoio dos caciques desses partidos, como PSD e PTB, que veem  na união do Centrão um risco à sua própria liderança.

Umas vez agindo nos bastidores para a vitória de Maia, ainda que discretamente, resta a Temer esperar que ele vença. Porque nesse caso sua eventual derrota cobrará um preço do governo em termos de apoio na Câmara.