A verdade passou longe do desabafo de Gilberto Carvalho

  • Por Jovem Pan
  • 05/01/2015 15h30

Pergunta: Nêumanne, será que é injusto chamar o pessoal envolvido no petrolão de ladrão e o grupo todo de quadrilha?

Resposta: O ex-secretário da presidência da República, o famoso Gilbertinho, Gilberto Carvalho, fez um discurso de despedida polêmico, dizendo “nós não somos ladrões, nos chamam de quadrilha porque somos os representantes dos pobres”.

Ah, até isso o coitado do pobre no Brasil sofre, né? Responder pelos bandidos milionário que praticam furto à luz do dia ou na escuridão da noite. O senhor Carvalho, que agora preside uma entidade de movimentos sociais se referia a um comentário feito pelo candidato derrotado do PSDB à presidência da República, Aécio Neves, de que perdeu não para o partido, mas para uma organização criminosa.

Bom, contra ele falam, primeiro, o passado, né? Como lembrou bem em […], o líder do PSDB na Câmara dos deputados, Gilberto Carvalho, foi acusado por um irmão de Celso Daniel, João, médico oftalmologista, de ter contado que levava pessoalmente malas de dinheiro vivo do irmão dele, prefeito de Santo André, Celso Daniel, cuja prefeitura também trabalhava a irmã do Gilberto, a senhora Miriam Belchior, também foi do ministério de Dilma para José Dirceu na presidência do PT.

Foi feita a acareação, foi feito tudo, mas o caso Celso Daniel continua irresolvido apesar de já háver evidências de que foi ele que provocou o mensalão, processo no qual muitos petistas foram condenados porque roubaram mesmo, portanto são ladrões, e o Petrolão.

Também fala contra ele o futuro, afinal ele fez o discurso na sexta, saiu no jornal no sábado e no domingo, “O Globo” publicou a história da Gazeta, uma empresa de faixada, de papel, montada pela Petrobras na Bahia para transportar gás. Um prejuízo razoável de 6 bilhões e 300 milhões de reais e um super faturamento ridículo de 1800%.

Quer dizer, o ministro Gilberto Carvalho que me desculpe, mas a verdade passou longe do desabafo dele, não acha?