“10 Medidas Contra a Corrupção” não acabaram, mas não são suficientes, diz procurador da Lava Jato

  • Por Jovem Pan
  • 09/02/2017 10h32
procurador da Lava Jato

Em palestra nesta quinta-feira (09) na Câmara Americana de Comércio (Amcham), o procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima, da força-tarefa da Operação Lava Jato, afirmou que apenas as “10 Medidas Contra a Corrupção” não são suficientes para o combate à prática.

“Não bastam mais as 10 medidas. Elas introduzem a ameaça, mas nós temos um sistema político corrompido, que se financia a partir da corrupção. Corrupção é algo que transcende o direito penal. Precisamos ter leis que funcionem e não apenas leis moralmente boas”, disse.

O procurador destacou ainda que a corrupção está interligada com a violência, hoje observada principalmente no Estado do Espírito Santo. “Vivemos em um País em que somos reféns da corrupção e da violência. E eles são interligados. Não são autônomos”.

Para Carlos Fernando dos Santos Lima, a corrupção precisa ser combatida diariamente, e ele esclareceu que as “10 Medidas” não morreram: “essa planta você não arranca totalmente do solo, ela vai renascer. Mas precisa ser mais ampla, com reforma política”.

*Informações do repórter Tiago Muniz