Caso Lula gera batalha de decisões no TRF-4

  • Por Jovem Pan
  • 09/07/2018 20h09
Agência EFE Batalha de decisões no TRF-4 ganhou manchetes no mundo todo

O Judiciário brasileiro passou vergonha no último domingo (8).

A batalha de decisões no TRF-4 ganhou manchetes no mundo todo. Na França, por exemplo, a situação foi chamada de “telenovela”. O New York Times e outros jornais importantes também cobriram as idas e vindas do caso.

Fazendo uma lembrança rápida dos episódios, o desembargador plantonista Rogério Favreto concedeu habeas corpus para Lula pouco depois das 9 da manhã.

Faltando 10 minutos para o meio dia, o deputado petista Wadih Damous protocolou uma petição informando estar na Superintendência da PF com o alvará de soltura. Lula, porém, não foi liberado.

Minutos depois, o juiz Sergio Moro disse que Favreto não era competente para tomar tal decisão. Favreto, em seguida, reiterou a ordem para libertar o ex-presidente.

Foi aí que entrou o relator do caso Lula no TRF-4, João Pedro Gebran Neto, que determinou à PF que se abstivesse de liberar Lula.

Favreto insistiu mais uma vez na concessão do habeas corpus e o caso só chegou ao seu desfecho às Sete e meia da noite, com despacho do presidente do TRF-4, o desembargador Thompson Flores, dizendo que valia a decisão do relator.

No 3 em 1 desta segunda-feira, 09, Vitor Brown mediou um debate sobre o tema entre Vera Magalhães, Carlos Andreazza e Marcelo Madureira.

Vera disse que o PT brincou com a Justiça no episódio e desmoralizou um Poder constituído da República. Andreazza afirmou que o STF tem culpa em tudo que aconteceu. Já Madureira defendeu a punição ao desembargador plantonista.