Constantino diz que há ‘óbvio problema de parcialidade’ do STF no caso Daniel Silveira

Comentaristas do programa 3 em 1, da Jovem Pan, analisaram o pedido dos advogados de Silveira para que nove dos onze ministros da Suprema Corte sejam declarados suspeitos

  • Por Jovem Pan
  • 12/04/2022 17h45
Gabriela Biló/Estadão Conteúdo Daniel Silveira Deputado federal Daniel Silveira foi condenado por atos antidemocráticos pelo Supremo Tribunal Federal (STF)

O deputado federal Daniel Silveira (União Brasil-RJ) solicitou que nove ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) – Alexandre de Moraes, Cármen Lúcia, Dias Toffoli, Edson Fachin, Gilmar Mendes, Luís Roberto Barroso, Luiz Fux, Ricardo Lewandowski e Rosa Weber – sejam considerados suspeitos no inquérito aberto pela Corte contra o parlamentar por desobediência. No pedido, os representantes de Silveira alegam que, “no dito julgamento, ocorrido virtualmente no dia 1º de abril de 2022, nove ministros, além do relator, referendaram as ilegalidades e inconstitucionalidades da decisão proferida pelo sr. Alexandre de Moraes em 30 de março de 2022, onde impunha, de forma monocrática, medidas cautelares em face do primeiro excipiente, parlamentar federal”.

Durante sua participação no programa 3 em 1, da Jovem Pan, o comentarista Rodrigo Constantino se posicionou de maneira favorável à suspeição de nove dos onze ministros do STF no caso Daniel Silveira, pois os magistrados “são parte interessada nesse processo”. “Então é óbvio que há um problema de parcialidade. Óbvio que os juízes são suspeitos em julgar um caso que envolve eles mesmos e o deputado que eles estão perseguindo, principalmente na figura do Alexandre de Moraes, mas com a cumplicidade e a conivência do plenário”, afirmou o analista.

Confira o programa desta terça-feira, 12: