Em carta a aliados, Temer diz ser alvo de conspiração: presidente está preocupado com 2ª denúncia?

  • Por Jovem Pan
  • 16/10/2017 20h45 - Atualizado em 16/10/2017 20h52
Beto Barata/PRMichel Temer já está se defendendo da segunda denúncia da Procuradoria-Geral da República

Diante da crise com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, após a divulgação de vídeos da delação premiada do doleiro Lúcio Funaro, o presidente Michel Temer resolveu enviar uma carta a parlamentares para “desabafar” e se defender da 2ª denúncia da Procuradoria-Geral da República.

No documento, Temer pregou a “pacificação” e citou a disposição em dialogar. O presidente afirmou ainda que está sendo vítima desde maio de “torpezas e vilezas” que têm vindo à luz, e lamentou a conspiração para que seja derrubado da Presidência da República. Temer chegou até a usar uma entrevista concedida à revista Época pelo ex-deputado Eduardo Cunha, que acusou o ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de ter exigido acusações contra o presidente para fechar acordo de delação.

No 3 em 1 desta segunda-feira (16), Patrick Santos mediou debate entre Vera Magalhães, Carlos Andreazza e Marcelo Madureira, que discutiram sobre a reação do presidente Temer diante da nova crise.

Vera criticou a postura do advogado de Michel Temer, Eduardo Carnelós, que em nota fez duras críticas ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, em meio à tramitação da 2ª denúncia da PGR. Andreazza destacou que a fala de Maia é exagerada e indica a busca de um pretexto para romper com o Governo. Madureira afirmou que talvez o presidente da Câmara esteja vendo um futuro vácuo no Planalto.

Confira o debate completo no 3 em 1: