Graça constitucional de Bolsonaro deixou STF e oposição ‘sem saber o que fazer’, avalia Serrão

Comentaristas do programa 3 em 1, da Jovem Pan, analisaram o decreto do presidente que concedeu perdão à pena imposta pela Suprema Corte ao deputado federal Daniel Silveira

  • Por Jovem Pan
  • 25/04/2022 17h39
Foto: Alan Santos/PR - 19/04/2022 Jair Bolsonaro Presidente Jair Bolsonaro (PL) conquistou um empate técnico na pesquisa Modalmais-Futura

Após o presidente Jair Bolsonaro (PL) decretar uma graça constitucional e conceder perdão ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) à condenação imposta pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por atos antidemocráticos e ameaça a ministros da Corte, o mandatário afirmou nesta segunda-feira, 25, que o indulto dado “será cumprido”. O chefe do Executivo participou de uma feira de tecnologia agrícola, em Ribeirão Preto, no interior do Estado de São Paulo, e criticou presidentes anteriores que utilizavam o decreto para “soltar bandidos”. Já o STF deve analisar pedidos para sustar o indulto ao parlamentar.

Durante sua participação no programa 3 em 1, da Jovem Pan, o comentarista Jorge Serrão afirmou que o Supremo Tribunal Federal, e a oposição ao governo federal, não esperavam pelo decreto da graça dado pelo presidente Jair Bolsonaro. “Eles não sabem o que fazer e agora não tem o que fazer”, afirmou. O analista ressaltou, ainda, que o STF agiu com a “mão pesada” e que a ação “acabou turbinando a campanha reeleitoral” de Bolsonaro. “O STF deveria ter agido com cautela, com equilíbrio, buscando a paz nesse caso e o Supremo jogou fora essa oportunidade única que tinha”, argumentou Serrão.

Confira o programa desta segunda-feira, 25: