Ministro da Agricultura tem apartamento revirado pela PF: Maggi deve renunciar?

  • Por Jovem Pan
  • 14/09/2017 21h45
Brasília - Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, durante anúncio da liberação de milho dos estoques governamentais para venda a criadores e agroindústrias de pequeno porte do Nordeste (Antonio Cruz/Agência Brasil)No pedido, a Procuradoria-Geral da República pontuou situações ilícitas que implicam o ministro da Agricultura.

Nesta quinta-feira, 14, a Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão no apartamento do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, do Partido Progressista, em Brasília.

A operação, batizada de “Malebolge”, foi autorizada pelo  ministro do STF, Luiz Fux, que apontou “veementes indícios” de prática dos crimes de obstrução de Justiça e organização criminosa por parte de Blairo Maggi. No pedido, a Procuradoria-Geral da República pontuou situações ilícitas que implicam o ministro da Agricultura.

Entre os crimes destacados pela PGR, Blairo Maggi é acusado de oferecer vantagem indevida para evitar a delação premiada do ex-governador do Mato Grosso, Silval Barbosa. Ele também teria solicitado empréstimos fraudulentos para cobrir rombo do Estado. Em nota, Maggi diz que nunca agiu ou autorizou ações ilícitas dentro do governo.

No 3 em 1, Patrick Santos mediou debate entre Vera Magalhães, Carlos Andreazza e Marcelo Madureira, que discutiram sobre a situação do ministro Blairo Maggi no governo do presidente Michel Temer.

Vera afirmou que fica admirada que uma pessoa que vem de uma família rica e tem uma indústria de soja que domina o mercado no Brasil precise praticar ilegalidades depois que entra na política.

Andreazza destacou que Blairo Maggi não vai renunciar e que Michel Temer não vai demiti-lo, já que o ministro é investigado pelo mesmo crime que o presidente.

Madureira disse que a única explicação para o envolvimento de Blairo Maggi nesses esquemas é a falta de educação.

Confira o debate completo no 3 em 1: