‘O desespero está batendo à porta da CPI da Covid-19’, diz Constantino

Declaração foi dada pelo comentarista durante o programa 3 em 1 desta quinta-feira, 20, no qual foi analisado o depoimento do ex-ministro Pazuello à comissão

  • Por Jovem Pan
  • 20/05/2021 18h42
Edilson Rodrigues/Agência Senado - 19/05/2021 O ex-ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, durante depoimento na CPI da Covid-19 O general da ativa iniciou seus esclarecimentos à comissão na quarta-feira, 19, mas a reunião precisou ser suspensa devido às votações no plenário do Senado

O ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, retomou seu depoimento à CPI da Covid-19 nesta quinta-feira, 20. O general da ativa iniciou seus esclarecimentos à comissão na quarta-feira, 19, mas a reunião precisou ser suspensa devido às votações no plenário do Senado. O ex-ministro conseguiu no Supremo Tribunal Federal (STF) o direito de permanecer em silêncio durante os questionamentos na CPI. Mesmo com a permissão, ele respondeu à maioria das indagações feitas. Considerando que Pazuello foi o ministro que esteve por mais tempo à frente do Ministério da Saúde durante a pandemia, seu depoimento era um dos mais aguardados pelos integrantes da CPI.

Durante sua participação no programa 3 em 1, da Jovem Pan, desta quinta-feira, o comentarista Rodrigo Constantino analisou a postura do ex-titular da Saúde em seu depoimento. “Com certeza, Pazuello foi firme em seu depoimento. Diziam que ele ficaria em silêncio porque era covarde, então sua postura foi uma surpresa. Para quem está vendo as narrativas indo por água abaixo, a postura de Pazuello foi uma decepção”. Além disso, o comentarista também refletiu sobre o desenrolar da CPI da Covid-19. “A cada dia que vai um novo depoente à comissão, as narrativas são desmontadas porque não se sustentam em pé. Os fatos investigados são falácias de quem inventou um discurso de que o presidente é ‘negacionista’. Nos depoimentos, cada um do governo está deixando claro que várias ações foram feitas, não houve negligência ou descaso. Se aconteceu algum problema na gestão da pandemia, ele foi totalmente compartilhado entre várias esferas. Aliás, se houve algum entrave na condução da pandemia no país, é muito mais provável que tenha ocorrido devido ao próprio vírus. A CPI foi montada como um circo para atacar o presidente Jair Bolsonaro, mas eles estão dando um tiro no pé. Cada vez mais a população vê os senadores se enrolando e o desespero está batendo à porta da CPI da Covid-19”, concluiu.

Confira a íntegra da edição do programa 3 em 1 desta quinta-feira, 20: