‘Servidores públicos não ligam muito para a situação do Brasil’, diz Bruna Torlay

Servidores públicos federais definiram calendário de atos para pressionar o governo a conceder reajuste salarial em 2022; programa ‘3 em 1’ comentou

  • Por Jovem Pan
  • 29/12/2021 18h27 - Atualizado em 29/12/2021 18h30
Divulgação/ADPF Protesto policiais federais Policiais federais terão ajuste em 2022

Servidores públicos federais definiram na tarde desta terça-feira, 28, um calendário de atos para pressionar o governo a conceder reajuste salarial em 2022. O primeiro dia de mobilização foi marcado para o dia 18 de janeiro. O movimento ocorre após o presidente Jair Bolsonaro (PL) determinar aumento do salário dos policiais federais no ano que vem. Pressionado, o governo federal cogita atender algumas categorias, mas não deve ter recursos suficientes para conceder um reajuste a todos os servidores.

Bruna Torlay, comentarista do programa “3 em 1“, da Jovem Pan News, afirmou que os servidores públicos “não ligam muito para a situação do Brasil”. “Eu gostaria de entender porque a PF foi priorizada neste momento e as outras categorias não. É porque o salário deles estava mais defasado? É porque eles estavam numa condição pior? Se esse aumento tivesse sido feito de uma maneira a esclarecer as razões, talvez a gente não tivesse espaço para que esse corporativismo louco das outras classes se manifestasse”, opinou.

Assista ao programa “3 em 1” desta quarta-feira, 29, na íntegra: