Thais Oyama: ‘Quantas árvores vão sobrar no fim do governo Bolsonaro?’

Declaração do presidente sobre Brasil ‘ser exemplo em preservação socioambiental’ foi tema de discussão no programa 3 em 1, nessa sexta-feira, 18

  • Por Jovem Pan
  • 18/09/2020 19h03
Alan Santos/PRJair Bolsonaro disse em evento que o Brasil é um "exemplo na conservação socioambiental"

O presidente Jair Bolsonaro disse durante um evento na Paraíba, na tarde dessa quinta-feira, 17, que o Brasil é um ‘exemplo quando se fala em preservação socioambiental‘ e reclamou das críticas externas que o país vem sofrendo. Nessa sexta-feira, 18, o avião do presidente precisou arremeter antes de pousar no Mato Grosso por causa da fumaça das queimadas no Pantanal. O assunto virou tema de discussão no programa 3 em 1, da Jovem Pan. Para Thais Oyama, o problema do fogo não é do governo federal, mas ela acredita que eles não estão se esforçando o suficiente.

“Não dá pra dizer que todo arbusto queimado é culpa do governo Bolsonaro. Tem, de fato, uma estiagem histórica, choveu muito abaixo da média e tem também as ações humanas criminosas que contribuem para esse fogo terrível. Embora pouco divulgado, tem gente combatendo o fogo no Pantanal. Eu falei com o Ministério da Defesa e eles estão lá desde 25 de julho com todas as forças armadas. Tem helicóptero da Marinha, do Exército, da Aeronáutica, tem fuzileiro naval especializado no combate ao fogo e etc. Isso o governo não fala, mas tem gente lá, não é que tá tudo largado, mas isso tudo é insuficiente. É só ver o tamanho da queimada e a área que ela atingiu. Fica claro que o governo chegou lá atrasado e, o que é mais espantoso, o governo não faz a menor questão de mostrar empenho”, explicou a comentarista.

“A Globonews lembrou de dar uma olhada na agenda no ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, sabe o que tem lá? Nada. Hoje, sexta-feira dia 18 de setembro, não tem nada. Está escrito ‘sem compromisso oficial’, dá para entender? É possível defender um ministro desses, é possível defender um governo desse?”, questionou. “Daí vem o presidente com o samba de 2 notas só com o 1º argumento ‘essas criticas são porque os nossos concorrentes acabam beneficiados’ e o 2º argumento ‘é porque a Europa já queimou as florestas dela’. O presidente só sabe falar isso, ele só reage. Bolsonaro não age, e isso é espantoso, e eu fico pensando quantas árvores vão sobrar no final do governo Bolsonaro aqui no Brasil”, encerrou. Para Josias de Souza, o presidente tem se mostrado um ‘líder arcaico’. “O presidente acha que está cavalgando em uma pauta conservadora, e isso é um engano. Conservadores foram Ronald Reagan e Margareth Tatcher. O presidente Bolsonaro está se comportando como um líder arcaico e isso vai ter um custo para o país”.