88% da população defende corte de gastos do Governo para equilíbrio de contas

  • Por Jovem Pan
  • 20/07/2016 09h06
USP imagens Dinheiro, economia, poupança Dinheiro

Pesquisa revela que 88% dos brasileiros defendem o corte de gastos pelo Governo como a melhor forma de equilibrar as contas. O levantamento foi encomendado pela Fiesp e pelo Ciesp à “Ipsos Public Affairs” e ouviu 1,2 mil pessoas no Brasil.

Dez por cento não souberam dizer o que o Governo precisa para equilibrar o orçamento e 2% disseram acreditar na alta de tributos como a melhor opção.

Mas, em entrevista a Denise Campos de Toledo, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, avaliou que a sociedade não aceita mais aumento de impostos no Brasil.

“Enquanto paga muito, tem pouco como retorno, porque segurança, saúde, escolas públicas, transporte e infraestrutura são ruins. o que a sociedade exige é que não se tenha mais aumento de impostos e que haja melhoria real dos serviços públicos”, disse. 84% dos entrevistados não confiam em um aumento temporário de impostos.

O economista Felipe Salto, especialista em finanças públicas, explicou que a elevação da CIDE, a contribuição sobre os combustíveis, é inevitável: “é um imposto que você tem uma alíquota máxima prevista em lei, no caso da gasolina, de R$ 0,86. Hoje estamos com R$ 0,10. Há um espaço grande para aumentar, isso pode ser feito por decreto e o impacto sobre a inflação não é tão grande assim”.

Do total de entrevistados, 6% indicaram o congelamento de novos investimentos como primeira opção de resposta. E outros 3% acreditam que o aumento da idade mínima para aposentadoria seja a melhor alternativa para a redução dos gastos públicos.