Academia de Ciências de Lisboa quer que acordo ortográfico seja “aperfeiçoado”

  • Por Jovem Pan
  • 28/11/2016 09h03
Acordo Ortográfico deverá entrar em vigor só em 2016

A Academia da Ciências de Lisboa (ACL) deve apresentar ainda neste ano um estudo para aperfeiçoar o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990. A intenção é sugerir o retorno de utilizações de algumas consoantes mudas, por exemplo.

O presidente da ACL, Artur Anselmo, informou que a instituição não tem qualquer tendência política e que o acordo ortográfico é um “problema científico e não político”, e que deveria ser resolvido definitivamente. Segundo ele, seria utópico impor uma grafia igual em todos os países de língua portuguesa.

Entre as mudanças que a Academia irá propor está o emprego do hífen em determinadas palavras, mas ressalta que o não emprego do hífen não seria um erro.

No que tange às consoantes que não são pronunciadas, a Academia irá defender que elas só caiam nos casos em que há uma grafia única no Brasil e em Portugal – como na palavra “ação”. Na palavra “optica”, por exemplo, a ACL defende o uso da consoante.

Já as associações estão de acordo, porém com limites. A presidente da Associação de Professores de Português, Edviges Antunes Ferreira, disse que aceita uma “revisão ligeira”, mas nunca a anulação do acordo ortográfico. “Temos de ver em que termos será feita essa revisão”, disse.

Por outro lado, alguma associações dedicam-se à luta contra o acordo e rejeitam uma revisão.

Confira as informações do correspondente da Jovem Pan, diretamente de Portugal, Ulisses Neto: