Aécio Neves ataca Governo e promete oposição mais qualificada que já se viu

  • Por Jovem Pan
  • 13/11/2014 19h14
Senador Aécio Neves participa de Os Pingos nos Is

No programa Os Pingos nos Is desta quinta-feira, Reinaldo Azevedo, Mona Dorf e Patrick Santos entrevistaram o senador e ex-candidato à Presidência da República, Aécio Neves (PSDB). Confira abaixo os principais momentos do programa deste 13 de novembro de 2014.

O senador Aécio Neves lembrou, logo de cara, das promessas não cumpridas pela atual presidente da República, Dilma Rousseff (PT). Segundo a petista, haveria aumento de juros, elevação da tarifa de energia, reajuste dos combustíveis e que os banqueiros mandariam na economia caso o tucano fosse eleito. Dilma venceu, e houve aumento de juros, elevação da tarifa de energia e reajuste dos combustíveis. De acordo com Aécio, o governo nem se envergonha dessas atitudes.

“Eu denunciei isso durante a campanha. O governo não fica sequer com a face rosada de, pouquíssimos dias depois das eleições, fazer aquilo que disse que não faria. (…) Esse governo começa parecendo que está no seu final”, afirmou o senador.

O tucano falou também que apresentou um projeto que transforma o Bolsa Família em um programa de Estado. Segundo ele, a ação o tiraria da agenda eleitoral e deixaria de ser um programa conduzido por uma Secretaria dentro de um Ministério do Governo, que pode ser alterado de acordo com a vontade do governante. Se for transformado em um programa de Estado, começaria a fazer parte da lei orgânica da assistência social e teria orçamento determinado.

“Nós vamos abrir essa “caixa preta” do que é o Bolsa Família e parar com essa história de administrar a pobreza, que me parece ser o objetivo do governo. (…) Eu desafio o PT, mais uma vez, a votar contra esse programa. Porque, se fizer isso, esse projeto está na comissão de justiça do Senado Federal, estará dizendo de uma forma muito clara que não quer um programa pra atender as pessoas, quer um programa pra chamar de seu e pra vencer as eleições”, acusou.

O senador falou ainda sobre a “manobra” executada pelo governo com a Lei de Diretrizes Orçamentárias. Segundo Reinaldo Azevedo, o governo estourou todas as metas que tinha, vai produzir déficit, fez uma conta “mandrake” que transforma déficit em superávit e transgride a Constituição. De acordo com o tucano, essa proposta demonstra a derrota.

“Essa proposta é o atestado definitivo de fracasso desse governo. E, mais uma vez, a face não fica sequer rosada. O que nós assistimos essa semana no Senado Federal, pela voz da Ministra do Planejamento, é uma confissão de culpa que o Brasil jamais tinha assistido na sua história. O que o governo quer é simplesmente produzir um déficit pela sua irresponsabilidade, pela gastança desenfreada e chamá-lo de superávit. Nós não podemos permitir isso”, afirmou o tucano.

Aécio Neves disse ainda que está “sereno” porque sabe que fez uma campanha falando a verdade. Segundo ele, esse governo terá uma oposição profundamente conectada com a sociedade e será a mais qualificada que já se viu.