Agentes da Papuda descobrem regalias em cela de Pizzolato, que vai para isolamento

  • Por Jovem Pan
  • 02/02/2017 07h32
Henrique Pizzolato chega ao Complexo Penitenciário da Papuda

A defesa de Henrique Pizzolato classifica como “ilegal” a transferência do ex-diretor do Banco do Brasil para a ala solitária da Penitenciária da Papuda, em Brasília.

Na terça-feira, Pizzolato foi enviado para o isolamento, depois que agentes penitenciários encontraram na cela onde ele estava detido alimentos proibidos e dinheiro acima da quantidade permitida.

A descoberta foi feita a partir de uma denúncia anônima.

A mesma punição foi aplicada contra o ex-senador Luiz Estevão, o doleiro Lúcio Funaro, ligado a Eduardo Cunha, e mais oito presos. Todos estariam desfrutando de regalias dentro do presídio.

No regime de isolamento, os detentos perdem direito à visita semanal de familiares e ficam proibidos de visitar a cantina.

O encarceramento passar a ser feito em celas com dois ou quatro internos e o tempo de duração do banho de sol fica restrito a uma hora.

O advogado Hermes Guerreiro, que representa Henrique Pizzolato, critica a transferência e diz que o envio do cliente para a solitária viola o pedido de extradição, aceito pela Itália. “A punição por isolamento só ocorre em casos de falta grave e pela leitura de execuções penais isso não constitui falta grave. portanto, essa punição é ilegal”, disse.

O advogado Hermes Guerreiro afirma que tentará reverter a trasferência de Henrique Pizzolato para a solitária.

O ex-diretor de marketing do Brasil foi condenado no julgamento do mensalão a 12 anos e 7 meses de prisão pelos crimes de formação de quadrilha, peculato e lavagem de dinheiro.

Em novembro de 2013, ele deixou o Brasil e fugiu para a Itália, usando documentos do irmão morto.

Em fevereiro de 2014, Pizzolato foi preso na cidade italiana de Maranello.

Como tem cidadania italiana, o executivo cumpriu 17 meses da pena em uma cadeia local. Ele foi extraditado para o Brasil, em outubro de 2015.

*Informações do repórter Vitor Brown