Alerj decide cortar regalias de deputados; redução de gastos pode chegar a R$ 32 mi

  • Por Jovem Pan
  • 24/11/2016 06h35
ALERJ

Em meio à pressão popular, a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro decidiu cortar na própria carne e diminuir regalias dos deputados estaduais.

Nesta quarta-feira (23), representantes da Mesa Diretora da Alerj se reuniram e anunciaram medidas para cortar gastos supérfluos dos parlamentares. Ao todo são oito medidas que podem implicar em uma redução de gastos de aproximadamente R$ 32 milhões.

O corte, se integralmente efetivado, representará uma economia de 2% do orçamento geral da Casa.

Alguns dos cortes chamam atenção; os gabinetes deixam de ter direito a selos postais, uma economia de R$ 1,5 milhão ao ano. Os discursos agora serão divulgados via internet e Diário eletrônico, representando um corte de R$ 2 milhões.

Haverá ainda o corte na verba de combustíveis aos parlamentares, no valor de R$ 1,5 milhão. As vagas alugadas no centro do Rio para estacionamento de carros de deputados também serão reduzidas.

Outras medidas que dependem de votação do plenário da Casa ainda não tem data para ocorrer. Como por exemplo, os deputados querem mudar os horários das sessões solenes para economizar energia e também no pagamento de horas extras. Também não ocorrerão mais coquetéis na Casa durante as festividades e questões solenes.

O presidente da Alerj, Jorge Picciani, afirmou que as medidas para cortar regalias dadas aos deputados não são mais toleradas pela sociedade: “mais que o valor é o exemplo que é dado aos outros Poderes, às outras instituições”.

Em discussão na Alerj nesta quarta, os deputados se posicionaram favoravelmente a dois projetos de lei do pacote de austeridades. Os dois reduzem os subsídios para meios de transporte, barcas e bilhete único.

*Informações do repórter Rodrigo Viga