Aloysio Nunes prevê obstrução no Senado e diz: “o PT precisa se reciclar”

  • Por Jovem Pan
  • 11/05/2016 09h49
Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa ordinária. Em discurso, senador Aloysio Nunes (PSDB-SP). Foto: Jefferson Rudy /Agência Senado Jefferson Rudy / Agência Senado Aloysio Nunes

 Antes da sessão no Senado, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) falou à Jovem Pan sobre a expectativa da duração da votação, e afirma que a bancada governista deve tentar obstruir: “Vai depender se cada senador utilizar os 15 minutos e de quantos efetivamente vão ocupar a tribuna nesse início de sessão. A bancada do PT está tentando atrasar o processo, com uma série de questões de ordem, um pouco a semelhança das assembleias estudantis nos anos 60, mas pode atrasar a sessão”.

Sobre o alinhamento do PSDB com o possível governo Temer, Aloysio Nunes afirma que é importante apoiar em prol do País: “Não é só (uma questão) político-partidária, mas do País, nosso eleitorado está olhando para isso. Não podemos afastar Dilma e cruzar os braços, mas não vamos exigir cargos. Temer escolherá quem ele acha mais adequado e daremos apoio a ele”.

Ao ser questionado se esse processo poderia acabar com o PT, o senador acredita que o momento poderá ser um divisor de águas: “Não creio que seja o fim do PT, mas o começo de uma travessia no deserto. O PT precisa se reciclar. (…) Se o PT insistir na linha estreita, radical, “esquerdista”, o PT vai minguar e ser irrelevante, mas se reciclar suas práticas, seu programas, fazer uma autocrítica, poderá sobreviver como uma força política importante”.

Aloysio Nunes afirmou que as pedaladas fiscais deram base jurídica ao processo, mas que foi o despertar da sociedade civil o responsável pelo impeachment.