Anvisa pode facilitar venda de remédios sem receita médica

  • Por Jovem Pan
  • 04/08/2016 08h45
São Paulo 22 07 2014 com 12 % mais baratos remédios chegam as prateleiras das farmacias e drogarias com a insenção de Impostos/ Foptos Carlos Severo Fotos PublicasRemédio - Fotos Públicas

Uma nova regra da Agência Nacional de Vigilância Sanitária pode facilitar a venda de remédios sem receita médica. A resolução da Anvisa, que já foi publicada no Diário Oficial da União, facilita a transformação de remédios, que atualmente são tarjados, em medicamentos isentos de prescrição.

O texto estava em discussão desde 2003 e permite que empresas farmacêuticas enviem ao Governo federal pedidos para troca de registro.

Os laboratórios deverão comprovar que as substâncias não oferecem riscos à saúde, solicitando a retirada das tarjas e o reenquadramento na categoria de venda livre nas drogarias.

O presidente da Associação Brasileira das Farmácias, Sérgio Mena Barreto, ressaltou que muitos pacientes procuram consultórios médicos apenas para obter receitas e acredita que a medida pode aliviar a sobrecarga do sistema de saúde.

“É exatamente pelo fato de você ter uma categoria simples, que pode comprar por conta própria, pode usar uma categoria de medicamento segura, que você evita que o sistema de saúde seja sobrecarregado. A maioria dos problemas é falta de informação e falta de medicação desse tipo”, disse.

Sérgio Mena Barreto lembrou ainda que a retirada das tarjas é uma tendência mundial e afirmou que a Anvisa está capacitada para avaliar quais remédios necessitam da rotulagem.

O clínico-geral Alfredo Salim Helito, consultor da Jovem Pan, criticou a medida e acredita em aumento nos casos de automedicação. “Quanto mais bem-controlada for a venda de medicamentos pelas farmácias, menor é o risco de automedicação ou de uso inadvertido de medicamentos por período prolongado”, defendeu.

O doutor Alfredo Salim Helito previu ainda que a resolução dará início a uma corrida dos laboratórios, tentando retirar as tarjas das embalgens. A Anvisa ainda não informou qual será o prazo concedido às empresas do setor famacêutico para a inclusão dos remédios na lista de medicamentos livres de prescrição.

*Informações do repórter Victor Brown